HISTÓRICO

A Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio surgiu em decorrência da disciplina Etnologia Visual da Imagem do Negro no Cinema (ETNOVIS), ministrada pela Professora Edileuza Penha de Souza na Universidade de Brasília (UnB), com o objetivo de exibir e fortalecer as produções de mulheres negras para debater e possibilitar novas narrativas audiovisuais que valorizem a identidade e o protagonismo, promovendo a conexão de países africanos e da diáspora negra.

Adélia Sampaio – primeira diretora negra do Brasil – dá nome ao evento que teve sua primeira edição de 21 a 25 de agosto de 2017, através do edital “MAIS CULTURA NAS UNIVERSIDADES” - MEC/MinC e da parceria entre a UnB e a Fundação Palmares. Com curadoria e júri compostos por cineastas, cientistas sociais, artistas e ativistas negras, além da participação de uma jurada representante da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Destaca-se o amplo alcance da Mostra, com premiações de obras do cinema de Cabo Verde e Quilombola. O evento contou também com a realização de sessões especiais para estudantes de escolas públicas do Distrito Federal (DF) com 10 filmes exibidos.

Em sua 2ª edição, a Mostra recorreu a captação de recursos por meio de um crowdfunding para dar continuidade ao projeto. Novamente, a UnB cedeu espaço para a realização dos encontros e das sessões especiais para estudantes de escolas públicas do DF. O evento aconteceu de 26 a 30 de novembro de 2018 e contou com oficinas de formação em audiovisual e cinema, apresentações culturais e debates sobre a produção cinematográfica com temática negra, além da importância de dar visibilidade a cineastas de diferentes gerações e localizações para proporcionar diálogos entre o cinema produzido por mulheres negras.

A 3ª edição da Mostra, constituída como espaço de resistência para revelar as histórias e a ancestralidade negra dentro do Cinema Brasileiro, obteve financiamento através do Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal (FAC-DF), o que possibilitou a recepção das cineastas cujos filmes foram selecionados para a mostra competitiva, além da homenageada do projeto Adélia Sampaio que participou de uma roda conversa. Essa edição se voltou especificamente para a valorização da mulher negra na direção, consequentemente, houveram cineastas negras em todas as categorias premiadas. O evento aconteceu de 3 a 5 de dezembro, com exibições de filmes, oficinas de cinema de gambiarra, de preparação de atores e de stop motion, além de apresentações musicais.

Devido aos impedimentos causados pela pandemia da Covid-19, a 4ª edição da Mostra precisou se adaptar ao formato online, para tanto, foi preciso garantir aos filmes selecionados segurança sobre direitos autorais, mantendo a qualidade do evento e a participação do público. Prevista para os dias 17 a 23 de outubro de 2021, a IV Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio estreia em formato online com ambrangência internacional.